Daniel Arantes começou sua carreira em 1992, no estúdio de uma agência de propaganda em São Paulo. Iniciou como assistente, o que o levou a ter oportunidades de trabalhar também em outros mercados além do publicitário, como o editorial e de gravadoras produzindo fotos de músicos para imprensa e capas de CDs e DVDs. Nesse tempo ele concluiu em média 10 cursos voltados para a fotografia. Hoje ele trabalha em diversos segmentos da fotografia, utilizando equipamentos dos básicos aos avançados, tendo como seus principais clientes agências de propaganda e marketing, músicos, gravadoras, além de revistas de vários segmentos. Como publicitário realiza várias produções como produtos, pessoas, institucionais, entre outros. Na área da música, desenvolveu uma linguagem própria no registro de imagens de shows, e assessoria de imprensa para músicos. Também desenvolve um trabalho pessoal de banco de imagens com fotos de temas brasileiros voltado pro meio ambiente e culturas regionais. Participou também de projetos especiais como o projeto Brasil Adentro (pesquisa de cultura e natureza tendo como ponto principal o Parque Nacional da Chapada Diamantina),  Rumo Norte (caminhada fotográfica pelo norte dos Estados do Pará e Amazonas), Rota 230 e Beira de Estrada (cobertura fotográfica da expedição off-road pela Rodovia Transamazônica) e Livro “Fernando de Noronha – Ilhas Afortunadas” (Lei Rouanet com Daniel Arantes, Angela B Mizumoto e Walter Abreu). Ele considera a fotografia um estilo de vida e dedicou todo seu tempo livre para esses projetos que fez.