Por Ana Beatriz

Na noite de quinta-feira (21 de fevereiro), a Esamc Santos recebeu a jornalista Arminda Augusto para ministrar a Aula Magna de Comunicação. O teatro recebeu cerca de 400 alunos de Jornalismo, Publicidade e Propaganda, Relações Públicas, entre outros interessados na área. Há cinco anos, Arminda é editora-chefe do jornal mais cobiçado da Baixada Santista, A Tribuna.

Ela começou a aula contando um pouco sobre sua trajetória e, logo depois, partiu para o assunto mais aguardado da noite: o mercado de trabalho. A jornalista não mediu as palavras sobre a realidade fora das faculdades: “Está muito ruim. Cada vez mais se pede um profissional completo”, disse. Também deixou claro que ler sobre tudo, principalmente sobre o que nós não gostamos, pode ser uma boa oportunidade para aprender coisas novas e desenvolver novas aptidões.

Arminda defendeu que um jornalista deve provocar o conhecimento, e quando se fala em se reinventar, “não é só para trazer mais opinião, mais pesquisa para dentro do jornal, é você buscar dentro da sua comunidade temas que sejam relevantes e que possam agregar conhecimento”, como ela disse.

Outro ponto importante destacado na noite foi a queda nas vendas dos veículos tradicionais como o jornal impresso, devido à avalanche digital: Arminda afirmou que jornais tradicionais como A Tribuna se sustentam por meio de seus assinantes de nível intermediário, entre analógico e digital (mais de 45 anos). Ela reconhece a falta do público digital (+18 anos) interessado no jornal impresso, e voltou a defender a necessidade de o jornalista e o jornalismo se reinventarem, a fim de atrair o público jovem na busca por notícias nas redes sociais, chaves de busca como Google e outras ferramentas.

Foi uma noite que gerou grande expectativa entre os alunos. Ingrid, estudante de Jornalismo na Esamc, considera que, "com todas essas informações posso me preparar adequadamente para o mercado de trabalho e garantir o meu lugar dentro de uma redação’’. Paulo, estudante de Publicidade, disse ter se decepcionado em relação à aula, pois acha que focou somente em um curso, mas que foi importante entender o mercado de trabalho e sua demanda.