aes black logo 2020

capa jessica van
Click na fotografia para assitir o ensaio no Instagram

Rio de Janeiro - RJ - Num tablado digital, nove personagens shakespearianas vão se enfrentar numa arena de ideias, sendo  tudo  conduzido  pelas  intervenções de um Mestre de Cerimônias. Reprodução: Vanessa LIma/AES

Por Jessica Lohan (texto) e Vanessa Lima (fotografia), da AES

As peças virtuais serão o novo normal ou serão o fim do teatro? A pandemia prejudicou diretamente a vida dos artistas de palco. Segundo levantamento feito pelo Ministério da Economia Pública, as atividades artísticas, criativas e de espetáculos foram os setores mais afetados com o impacto do novo Coronavírus. No entanto, com projetos e espetáculos cancelados, sendo impossíveis eventos com aglomeração, novos formatos passaram a existir para quem vive de teatro.

A plataforma Zoom se tornou o novo palco de apresentações, e para muitos esse formato através da internet é falho. Joyce Rodrigues, aluna do teatro Macunaíma, no princípio parecia ser impossível ter aula de teatro on-line, a jovem de 27 anos afirma que foi difícil a aceitação das encenações virtuais.

“De início, eu surtei. Pensei que não seria possível, não tinha nada definido. Eu não fui a única a desacreditar das aulas virtuais.  Logo que tivemos a primeira aula, choramos de emoção. Percebemos que nada é impossível para a arte”.

A atriz admite que muitas vezes fica desmotivada e que sente saudade dos palcos. “Improvisamos com objetos e usamos cômodos das nossas casas para cenário. Nunca será a mesma sensação. Eu perco até o interesse sem a presença e o calor dos meus companheiros de cena e principalmente da plateia”.

Contudo, a maior questão é: Qual será o futuro do teatro? O diretor de elenco Paulinho Pestana declara que peças virtuais vão contra tudo aquilo que o teatro trabalha. “No momento, acho muito vago esse formato. É impossível uma pessoa ter uma vivência dramatúrgica sem aproximações e sem contato. Não sabemos como vai ser depois da pandemia, é um momento de interrogação. Está acontecendo uma reformulação involuntária, que vai transformar a arte pelos próximos anos. Futuramente pode existir um formato de teatro virtual, mas no momento não”, pondera.

Shift Rádio 2019-02
Shift TV 2019-02
Shift Jornal 2019-02